sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Relacionamentos

Pois bem, começando a escrever em meu blog vou fazer uma réplica a uma postagem da minha amiga Evelyn que fala sobre relacionamentos (http://blynzinha.blogspot.com/2008/09/relacionamentos.html) colocando a minha opinião pessoal.

Não concordo com o texto quando ele diz que todo namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Não acredito que seeeempre tenha fim. Quem sabe podem me chamar de sonhador, mas ainda acrredito em cara-metade e pessoas que se completam e neste termo falo do que o texto se refere a pessoas que se somam. Aliás aquela famosa frase é certa: "Pólos opostos se atraem". A gente nunca quer alguém que seja igual a nós. Nós sempre queremos alguém que nos some em algo (e isto eu chamo de completar). Quando você é uma pessoas sussegada vai querer alguém com mais iniciativa, alguém que tenha que correr atrás e que tenha que se esforçar para seguir o ritmo dessa pessoa, que te traga novos desafios, novos horizontes e novas experiências. Quando você é do tipo "porra-loca" acho que quer uma pessoa mais sussegada para mostrar a ela as coisas boas da vida, ou pelo menos por esta pessoa não te encher mto o saco, já que ela é sussegada, quieta e porque não dizem "mosca morta" ela não vai pegar muito no seu pé com medo de te perder.

Bem, mencionando o texto ainda, e nessa parte eu concordo com ele, tmb não gosto quando, depois de um tempo namorando e depois de ter terminado, alguém diga "o namoro não deu certo". deu certo sim, o tempo que durou. Esse negócio de dizer que não deu certo pra mim é apenas uma desculpa que nos damos para sofrer menos. Se ficamos com outra pessoa por um tempo é porque foi legal ou porque somos masoquistas, o que mesmo nestes termos seria algo bom (praqueles que o fazem, é claro... hehe). Se não fosse bom não ficaríamos com a pessoa por mais de uma noite.

Claro que uma pessoa nunca vai nos dar 100%, como o texto fala, 100% nem de nós para nós mesmos. As pessoas tem defeitos, nós temos defeitos. O que realmente importa quando estamos com uma pessoa e o que devemos levar em consideração é se podemos conviver com os defeitos desta pessoa.
Uma coisa que tenho pra mim a muito tempo e que mesmo quando eu ignoro eu me fodo e acabo percebendo que é verdade e que não existe exceção é que você pode mudar muito numa pessoa, menos o carácter.
O carácter é a característica mais profunda de uma pessoa, a mais íntima, aquilo que rege a sua vida. Se você conhece o carácter de alguém você já sabe o que vai ter que enfrentar, e já pode analizar se vai poder conviver com o "defeito" desta pessoa.

As vezes existe aquele lance de Pele. Nossa e como... hehe. As vezes só de você estar do lado de uma pessoa já te dah arrepios, te dah tesão. Maaaas, não podemos nos guiar por esse tipo de sentimento, pois ele é traiçoeiro, te faz perder a noção de tudo mais que está ao redor. A pessoa pode ser boa de cama, pode ser atraente, mas será que ela realmente te fará feliz?
Bem... não que devemos desprezar esse lançe, mas devemos ir com calma com ele, pois "nem todo sexo bom é para namorar... nem todo beijo é para romancear. Nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar..."
E por falar em beijo, este é um termômetro de um relacionamento. Quando o beijo é bom a gente "se joga", qdo ele deixa de ser bom, ou quando ele simplesmente "não bate", a gente parte pra outro. hehe.
E que atire a primeira pedra quem não concorde com isso... hehe.

Viver a vida e o momento é o melhor a se fazer e entender que o momento, às vezes, é apenas o momento é algo que lhe ajuda a evitar muita dor de cabeça.

Voltando um pouco a relacionamentos que terminaram, a pessoa também tem direito de terminar um relacionamento, não porque "não foi bom", mas porque agora "não está bom". As pessoas não tem obrigação de nos amar a vida toda, afinal, como diria Shakespeare vcê deve aprender "que beijos não são contratos e que presentes não são promessas". Podemos ter várias experiências, achar que dessa vez "vai" e acabar percebendo que na verade "não foi". E nem por isso a pessoa deixa de te amar, ela apenas não te ama como você gostaria que fosse.
Claro que você tem direito de lutar para reconquistar aquele semtimento perdido, tentar reconquistar o "amor perdido", porém não dê "pití", pois o importante é que se tenha respeito de ambas as partes e que se saiba aceitar as decisões do outro.

Enfim... gostar realmente dói, muitas vezes você vai ter ciúmes, vai ter raiva, vai se frustrar. Mas este é o divertido da vida, aprender os seus diferentes sabores. Se fosse fácil toda vida pelo que iríamos lutar?

Mas romanceie, namore, case, viva a vida. Haverá, como já disse, frustrações pelo caminho, assim como haverá muitas coisas boas. Saboreie o que cada relacionamento lhe proporcionar, viva cada momento, tire ensinamentos de cada pessoa com quem você esteja, para que você possa saber o que realmente você quer, que "tipo" de pessoa será melhor na sua vida. E deixe sempre as pessoas com quem você se relacionou com carinho, deixe-as de forma que elas também possam sentir saudades, quem sabe uma destas não será futuramente seu pingüim (veja charge)? Afinal, algumas pessoas precisam da ausência para que queiram a presença.

Um forte abraço a todos e até a próxima postagem.

2 comentários:

Blyn disse...

Tenho direito à uma tréplica? hehehehe... Bjo!

http://blynzinha.blogspot.com/2008/09/relacionamentos-2-misso.html

Memórias de July Sanper disse...

Os relacionamentos tem fim sim... todos eles... nem que seja com a morte... ai ai relacionamentos... ô coisinha dificil... relacionar-se com outro ser-humano... mais a pergunta é esse... terminando ou não... quem consegue viver só nesse mundo? sem q tenha se apaixonado ao menos uma vez na vida???
Eis ai a questão...